As aranhas, muitas vezes chamadas erroneamente de insetos, causam medo e fascínio.

Artrópode da classe dos aracnídeos (ordem Araneida), apresentam cores e tamanhos variados.

Tem aranha de tamanho quase invisível a olho nu até espécies de mais de 20 cm.

A ordem das aranhas reúne mais da metade dos aracnídeos, ou seja, 44.540 espécies descritas no mundo, distribuídas em 112 famílias e 3.924 gêneros.

No Brasil, existem 300 espécies inventariadas e 600 estimadas, somente de aranhas-caranguejeiras (Mygalomorphae), e, aproximadamente 4.000 espécies de aranhas devem existir em território brasileiro.

Dezenas de novas espécies, de gêneros e até mesmo novas famílias são descritas a cada ano.

Então vamos conhecer um pouquinho mais sobre elas?

1) Tem grande importância ecológica

Apesar da sua má reputação, as aranhas são indispensáveis ao equilíbrio ecológico do meio ambiente.

Elas são elos na cadeia alimentar dos ecossistemas e desempenham um papel importante como predadoras.

Ou seja, elas participam da regulação das populações de insetos, os quais consomem em grandes quantidades.

Assim como também são fontes de alimento para muitas espécies.

Além disso, seus venenos podem ser fontes de novos medicamentos ou de inseticidas úteis ao homem.

E a seda também representa um recurso com um grande potencial de utilização pelo homem.

2) Algumas aranhas podem passar até mais de 100 dias sem comer

Isso ocorre porque elas já estão adaptadas ao hábito predatório e nem todo dia ela encontram seu alimento.

E por isso, possuem o intestino médio muito extenso e diminuem a taxa de metabolismo, gastando menos energia.

Além disso, existem aranhas que caçam, vagando à procura de insetos e outras que utilizam uma estratégia de tocaia.

Em ambos casos a presa é detectada por estímulos visuais e táteis.

3) Sensor aranha?

Não, aranhas não tem sexto sentido igual ao homem aranha.

Mas várias famílias de aranhas se guiam e se comunicam pelo som.

As aranhas não têm ouvidos, mas os diversos receptores de vibração de seu corpo “escutam” as vibrações do ar.

Sabe aqueles muitos pelinhos que você vê nas pernas das aranhas?

São cerdas especiais, chamadas tricobótrias, localizadas principalmente nos palpos e as fendas nas pernas.

É por meio dessas cerdas, sensíveis a movimentação do ar e ao tato, que aranhas podem explorar o ambiente, através da captação de vibrações.

Além da percepção sonora, algumas aranhas tem também olhos bem desenvolvidos.

Diferente do que muita gente pensa, os olhos das aranhas não são iguais para todas as espécies.

A maioria das aranhas têm 8 olhos.

Mas algumas têm 6, 4 ou 2 olhos, ou mesmo nenhum.

Isso mesmo, algumas aranhas de caverna são cegas.

E diferente dos olhos dos insetos que são compostos, os olhos das aranhas são simples.

A maioria das aranhas enxergam muito mal, dependendo dos outros sentidos para capturar suas presas.

Assim, aranhas errantes tem olhos mais desenvolvidos que aranhas que constroem teias, já que não constroem armadilhas e precisam da visão para o sucesso da captura.

Um exemplo disso é a aranha papa-moscas, considerada o invertebrado terrestre que melhor enxerga.

aranhas

4) Reprodução das aranhas

As aranhas tem aberturas genitais, que ficam na parte ventral do abdômen, tanto no macho como na fêmea.

Na fêmea existem duas cavidades para encaixar os êmbolos, órgãos de cópula do macho, posicionados nas extremidades dos palpos.

Por isso, o  macho, no período reprodutivo, tece uma teia e ejacula um glóbulo de sêmen.

Em seguida os palpos são injetados no glóbulo de sêmen e então este macho sai à procura de uma fêmea para acasalar.

Assim, ao encontrar seu par, o macho transfere o sêmen.

No entanto, para ocorrer a cópula é necessário que ocorra o reconhecimento do macho da espécie pela fêmea, para que não haja risco de predação.

Assim, a fêmea permitirá movimentos de toque para a identificação de sensações e vibrações.

Além disso, substâncias exaladas (feromônios) participam desta comunicação.

Quando o macho permanece muito tempo junto à fêmea após a cópula, corre o risco de ser confundido com presa, podendo ser devorado.

É o caso por exemplo, das aranhas viúvas negras.

A fertilização ocorre com postura dos ovos, em uma bolsa de fio de seda chamada ooteca.

O número de ovos é variável, de acordo com a espécie.

Algumas aranhas vivem durante meses, enquanto outras, como as grandes caranguejeiras fêmeas, podem atingir até 25 anos, demorando de três a quatro anos para atingir a idade adulta.

A maioria das aranhas tem vida solitária, porém algumas espécies apresentam hábitos sociais e cuidados parentais com os ovos e a prole.

Algumas aranhas caranguejeiras e as espécies da família Lycosidae transportam suas ootecas junto ao corpo.

As espécies da família Lycosidae também carregam sobre o seu dorso os filhotes recém-eclodidos.

aranhas

5) Como as aranhas constroem suas teias?

Como a aranha consegue fazer a fixação inicial do fio, que ela produz de seu próprio corpo, entre duas superfícies às vezes sem contato entre dois galhos de uma árvore, por exemplo?

Tendo fixado primeiramente o fio em um galho, o que ela faz para fixar a outra extremidade em outro galho?

Sai andando pela árvore, carregando atrás de si o fio, sobe até o outro galho e de lá puxa o fio e o fixa no galho?

Não, ela age de forma mais simples, usando o vento.

A aranha produz os fios em quantidade e espessura adequadas, sendo que cada glândula produz fio de qualidade diferente.

As diversas glândulas (existem 7 tipos, que nunca ocorrem na mesma aranha) localizadas no abdômen da aranha produzem diversos tipos de fio de seda, cada qual com finalidade diferente: fios para encapsulamento da presa (glândulas aciniformes); fios para formar a “moldura”, raios e espirais da teia (glândulas ampoladas); fios para formar os casulos (glândulas tubuliformes) etc.

Assim, de acordo com a finalidade, existem fios adesivos e fios secos, não adesivos.

Um finíssimo fio adesivo é liberado pelas fiandeiras e, enquanto a aranha vai tornando este fio cada vez maior, o vento o carrega até encontrar um ponto onde o fio fica aderido.

Então, a aranha caminha com cuidado sobre este fio-guia, reforçando-o com um segundo fio.

O processo é repetido até que o fio esteja suficientemente forte.

Depois disso, a aranha lança um outro fio, formando uma espécie de Y, abaixo do fio inicial.

Esses são os três primeiros fios que formam o eixo da teia.

Ao se observar uma teia de aranha, distingue-se a moldura, os raios e a espiral.

Existem muitas variações na construção da teia, conforme a espécie da aranha.

aranhas

Algumas aranhas, constroem no centro da teia outra pequena espiral, ou uma rede de malhas, que funciona como “refúgio”.

A espiral de “captura” é especialmente construída para as presas e é feita com fios viscosos, adicionados paralelamente um ao outro.

A espiral de captura deixa às vezes dois raios livres, de onde parte um fio especial, chamado “fio telefônico”, que conduz ao refúgio da aranha, quando este é construído fora da teia.

A aranha pode captar as vibrações deste fio, para informar-se sobre o tamanho e o tipo de presa que caiu na armadilha.

A teia é composta por uma proteína chamada fibroína e pode ser cinco vezes mais forte que um fio de aço de mesma espessura.

Essas teias têm diversas utilidades para suas donas e seu uso mais conhecido é em armadilhas para apanhar presas, como insetos.

Mas nem todas as aranhas usam teias para este fim.

Uma aranha pode usar os fios para sua segurança, para a construção de ninhos ou sacos de ovos, para revestimento de tocas e outras utilidades.

Outra curiosidade sobre as teias das aranhas é que algumas espécies podem produzir uma teia novinha em poucos minutos enquanto outras levam toda uma noite para formá-la!

Mas não pense que a teia antiga é desperdiçada.

Antes ou durante a produção de novas teias, as aranhas ingerem a teia antiga.

Experimentos mostraram que as proteínas presentes no fio antigo aparecem na teia nova em apenas alguns minutos!

aranhas

6) Toda aranha tem veneno

Todas as aranhas têm veneno, mas são poucas as que causam acidentes com humanos.

O veneno serve para paralisar suas presas, pois como não têm pinças para deter as presas, nem têm dentes, digerem-nas externamente, através de enzimas, transformando-as numa sopa que depois sugam.

A maior parte das aranhas são inofensivas e até nos fazem bem.

O veneno da aranha, composto por substâncias tóxicas, principalmente proteínas, tem como principal função subjugar e degradar a presa.

Serve também para a defesa, sendo, assim, fundamental para a sua sobrevivência.

É armazenado numa glândula que se localiza no cefalotórax, podendo alcançar as quelíceras, órgão responsável por eliminar o veneno.

As aranhas só picam para se alimentar, ou quando se sentem ameaçadas.

No momento da picada, as quelíceras são elevadas e cravadas na presa; imediatamente, a musculatura ao redor da glândula de veneno se contrai e descarrega o fluido.

aranhas

7) Aranhas coloridas e especialistas em camuflagem

Se você acha que todas as aranhas tem cores discretas como marrom e preto você está muito enganado!

Existem diversas aranhas coloridas e muitas delas especialistas na camuflagem para captura de presas.

Para começar, um grupo chamado de “Aranhas-Flor” (em inglês, Crab Spiders – aranhas caranguejos – porque lembram mesmo caranguejos – ou também de Neon Spiders – aranhas neon – porque aparentam ser fosforescentes).

São aranhas pequenas (cerca de 1 a 3 cm) de vários gêneros e espécies, de cores impressionantes, que imitam flores para enganar suas presas e seus predadores, mas uma das espécies mais interessantes são as do gênero Epicadus, da Família Thomisidae, que podem mudar sua cor para melhor se camuflar.

Um livro bacana para quem gosta de tentar identificar as aranhas que encontra por aí é o: Aranhas: Guia Prático 

Sabe de alguma outra curiosidade sobre as aranhas ou tem alguma dúvida? Compartilha aqui com a gente!