Uma aula de campo pode ser uma visita guiada ou técnica, uma excursão expositiva, ou ainda de reconhecimento e de descoberta.

E para que possa ser significativo em termos de aprendizagem necessita ser bem planejada.

É no planejamento que se decide o sucesso ou insucesso de uma saída da escola.

Para muitos professores uma aula de campo termina no momento em que se desce do ônibus que lhes trouxe de volta para a escola.

Mas é preciso ter em mente que não pode ser uma atividade isolada.

Requer um fechamento, um feedback.

E muitas vezes o que foi estudado em uma aula de campo pode ser usado para desenvolver outras aulas na sala.

É certo que não há normas, mas há princípios de caráter geral que podem nos auxiliar no caminho de um bom planejamento.

Para começarmos, é importante sempre levarmos em conta as características específicas dos alunos e o nível escolar.

Além disso, precisamos considerar três momentos fundamentais e imprescindíveis: a preparação, a realização e resultados/avaliação da aula de campo.

Mas como fazer isso?

O passo inicial é realizar uma ida ao local ou locais a estudar, antes da realização do trabalho de campo.

Nunca se deve fazer um trabalho de campo sem que previamente, você professor, tenha feito um levantamento antecipado do lugar a se explorar.

Por que é importante conhecer o lugar?

Para evitar que haja entraves ou imprevistos no desenvolvimento da atividade.

Por exemplo, os horários do local a visitar, no caso de uma indústria, museus, etc, ou os aspectos e características próprias de uma área de estudo.

Você enquanto professor não pode ter um conhecimento incompleto do trabalho que vai coordenar.

Isso porque a aula de campo, assim como toda aula requer um inicio, meio e fim e você é o condutor da atividade, tem um objetivo a atingir.

Não pode ficar a deriva do que pode surgir, do que os alunos podem perguntar ou contar com uma aprendizagem eventual.

E também não é recomendado estar em igualdade com os alunos em termos de conhecer o local.

Ou seja, não poder dar informações e/ou responder aos questionamentos dos alunos.

campo

Etapas da preparação de uma aula de campo

1) Definir Objetivos

Qual seu objetivo ao realizar uma aula de campo?

O que você pretende ensinar ou que habilidades pretende desenvolver?

É preciso estimar o que se espera obter com o trabalho de campo.

É interessante pensarmos que de forma geral, e desde que preparado com um mínimo de cuidado, uma aula de campo tem sempre um caráter formativo importante.

Sobretudo no caso da chamada visita de “descoberta”.

Esta pode propiciar ao aluno não só a aquisição ou aprofundamento, de uma forma significativa, de conhecimentos sobre conteúdos programáticos relacionados com a visita.

Como pode levar ainda ao desenvolvimento de hábitos e métodos de trabalho.

Você pode ter objetivos que visam o desenvolvimento cognitivo, das capacidades e competências e os valores e atitudes.

2) Escolha do Local

A escolha do local que será objeto de estudo do trabalho de campo deve ser cuidadosamente analisada.

Não deve seguir o caminho da facilidade, escolhendo a visita que dá menos trabalho.

Provavelmente seria completamente inútil.

Você deve optar por aquela, que possui mais possibilidades formativas.

E que, preferencialmente, tenha mais a ver com o programa e os conteúdos que os alunos estão estudando.

Além disso, quando possível, analisar a possibilidade de articular conhecimentos de outras disciplinas.

Ou seja, uma aula de campo interdisciplinar.

É importante reunir todas as informações que puder sobre o assunto e o local.

Como por exemplo, mapas rodoviários, mapas hipsométricos, plantas, gráficos, reportagens etc.

Na visita de reconhecimento de local procure ver com os “olhos” dos alunos.

Isso te ajuda a planejar as atividades a serem desenvolvidas.

3) Situação Problema

Mesmo que a visita seja em uma exposição e os alunos não possam manipular os objetos.

Proponha uma situação problema para que o aluno possa resolver a partir da aula de campo.

Problematizar a aula possibilita que os alunos mantenham o foco no objetivo daquela visita e não se dispersem.

Caso não queira ou não seja possível propor um problema, guie o que os alunos precisam ver ou prestar atenção.

Uma aula de campo não pode ser solta, em que cada um tá prestando atenção em uma coisa.

É preciso um direcionamento para que posteriormente seja possível discutir o que foi vivenciado na aula de campo.

4) Calendário

Um trabalho de campo geralmente acontece em meio a atividades de médio a longo prazo do trabalho escolar.

E, normalmente, pretende-se que coincida com o momento mais adequado do estudo de um determinado tema.

Para que isso aconteça, você deve ter em mente as exigências e condições necessárias para se efetuar o trabalho de campo.

Não deve esquecer que:

  • Na maior parte dos casos, necessita de autorização do departamento responsável da empresa, parque ou museu.

    Se  houver visita técnica ou locais que são administrados pelo poder público, como por exemplo, uma área de proteção ambiental também precisa ser agendada. 

  • Essa autorização pode demorar algum tempo, pois necessita das formalidades necessárias (solicitação para a visita através de envio de ofícios) e o aguardo de resposta
  • Como o trabalho de campo requer contrato de transporte, e às vezes, verba para custear diárias e hotéis, a sua obtenção mesmo sendo da própria escola, pode ser demorada.
  • Além dos tempos de aulas necessários ao trabalho de campo propriamente dito, é importante também pelo menos uma aula para sua preparação e de outra mais para sua análise e avaliação. 

Além desses pontos, é importante pensar quanto tempo será necessário para realizar as atividades.

Quanto tempo nas atividades no campo propriamente dito, e quanto tempo em atividades