Nosso corpo morre quando não há mais nenhuma atividade neurológica ou quando temos uma parada cardíaca e circulatória irreversível às manobras de ressuscitação e outras técnicas.

A morte do corpo constitui um processo que se inicia nos centros vitais cerebrais ou cardíacos e se propaga, progressivamente a todos os órgãos e tecidos.

Ocorrendo inicialmente à morte funcional e depois a morte tissular.

Se a morte acontece pela ausência de vida de todos os órgãos que formam um organismo, o que acontece biologicamente com o nosso corpo quando a força vital acaba?

O processo de decomposição no corpo humano possuí diferentes estágios.

Descrevemos aqui os estágios de decomposição do corpo humano.

Momento da morte

  • O coração para
  • A pele fica dura e de cor pálida
  • Todos os músculos relaxam
  • A bexiga e intestino esvaziam
  • A temperatura corporal começa a cair 1 grau e meio (Fahrenheit) por hora

30 minutos após a morte

  • A pele fica roxa e ‘cerosa’
  • Os lábios e unhas da mão e do pé ficam com uma cor pálida
  • “Piscinas de sangue” surgem na parte inferior do corpo
  • As mãos e os pés ficam azuis
  • Os olhos afundam no crânio

4 horas após a morte

  • Rigidez cadavérica começa a aparecer
  • O tom roxo da pele e piscinas de sangue continuam a aparecer
  • A rigidez continua a apertar os músculos do corpo por mais 24 horas.

12 horas após a morte

  • O corpo entra em plena rigidez cadavérica

24 horas após a morte

  • O corpo fica na temperatura ambiente
  • Nos homens, o sêmen morre.
  • A cabeço e o pescoço já possuem uma cor azul-esverdeada
  • O azul-esverdeado começa a se espalhar pelo resto do corpo
  • O corpo já possui um forte cheiro de carne podre

3 dias após da morte

  • Os gases presentes nos tecidos do corpo formam vesículas na pele
  • O corpo começa a inchar grotescamente
  • Fluídos começam a vazar da boca, nariz, vagina e reto.

A Rigidez Cadavérica