Existentes a mais de 300 milhões de anos, as baratas já somam cerca de 5.000 de espécies no mundo.

O corpo das baratas tem formato ovular e deprimido.

Seu tamanho pode variar de alguns milímetros até quase 10 centímetros.

Qual a sua reação ao se deparar com uma barata?

Você tem nojo desses bichinhos? Sai correndo quando elas saem voando?

Conheça 7 curiosidades da barata mais comum ao convívio humano.

1) Elas resistem a ataques nucleares

Só que não. O mito provavelmente surgiu na década de 1960, com o relato nunca confirmado de que baratas teriam sobrevivido às bombas de Hiroshima e Nagasaki.

É verdade que, comparadas com não-insetos, elas são resistentes: por terem poucas células que se dividem lentamente, conseguem consertar alguns problemas causados pela radiação.

Mas outros seres vivos são muito mais resistentes, como certas algas, musgos e bactérias.

E até alguns insetos são mais fortes: enquanto a barata americana aguenta até 20 mil rads (unidade de radiação absorvida), o caruncho de madeira aguenta 48 mil, e a mosca-das-frutas, 64 mil.

Uma bomba como a de Hiroshima tem 34 mil rads. Ou seja, elas não sobreviveriam.

2) Elas sobrevivem sem cabeça

Além de conseguir ficar até um mês sem comer nada e semanas sem ingerir água, o inseto ainda é capaz de sobreviver por vários dias sem a cabeça.

É que suas principais estruturas vitais ficam espalhadas pelo abdômen (incluindo as que permitem a respiração) e, caso percam a cabeça, um gânglio nervoso no tórax passa a coordenar os seus movimentos, permitindo que fujam das ameaças.

Como o seu corpo tem um revestimento de células sensíveis à luz, ela ainda pode localizar e correr para as sombras a fim de se proteger.

3) Têm barata na nossa comida

Sim, existem baratas na sua alimentação (e outros insetos também).

Acredite, pernas e antenas de barata estão presentes em cada barra de chocolate, queijo e pipoca que você come.

Segundo a Food and Drugs Administration (FDA), o órgão que faz o controle dos alimentos e remédios nos EUA, uma barra de chocolate comum contém, em média, 8 resíduos de baratas.

O inseto entra em contato com o doce ainda durante a colheita e armazenamento do cacau.

E mais: pessoas que têm alergia ao chocolate podem, na verdade, ser alérgicas aos pedacinhos de baratas que ficam no doce.

Você pode achar nojento, mas a presença de baratas é segura para sua saúde.

Existe uma tolerância quanto a quantidade de insetos nos alimentos industrializados.

3) Baratas transmitem doenças

Quase isso. Baratas não são transmissoras no sentido de serem o vetor causador.

Elas são “transportadoras” de várias doenças, pois carregam no corpo e patas bactérias, fungos e vírus.

Entre as doenças mais comuns, estão cólera, peste, febre tifoide, herpes, poliomielite e conjuntivite.

4) Têm pouca visão

baratasAs baratas não são insetos com olhos privilegiados. São quase cegas.

A antena é seu grande diferencial: é por ela que as baratas sentem gostos, cheiros, detectar vibrações, mudanças de temperatura e umidade.

E é também por causa das antenas que elas conseguem sair correndo antes mesmo de você chegar até elas.

5) Baratas brancas?

É possível que você já tenha visto por ai uma barata sem cor, branca, toda esquisita.

Nesse estágio são chamadas de Barata-noiva ou barata descascada.

Mas elas são brancas? Uma outra espécie?

Nada disso. Essas baratas brancas, são as baratas que acabaram de fazer a muda (ecdise – parte da etapa de crescimento dos insetos) de pele, ainda não está com a sua cor definitiva e por isso está com uma cor muito clara.

6) “Baratas-voadoras”

Para quem tem medo de baratas, nada dá mais desespero do que ver um voando em sua direção.

Mas calma, baratas são animais que preferem andar e grande parte de seus vôos são associados a períodos reprodutivos.

Algumas espécies de baratas inclusive nem têm asas.

A barata mais abundante nas grandes cidades, a Periplaneta americana, é uma das que possuem maior propensão a voar, por isso é  chamada de “barata-voadora”.

Ainda assim, os vôos se restringem a períodos reprodutivos, a mudanças climáticas como a possibilidade de chuvas, e em momentos de “desespero”.

Se você encurralar uma barata muito provavelmente ela vai sair voando em legítima defesa.

7) Sangue de barata

Provavelmente você já ouviu alguém dizer que não tem sangue de barata. E não tem mesmo.

Essa expressão um pouco errônea é associada a pessoas que tem sangue e frio e não reage em situações desagradáveis ou ofensivas.

Mas as baratas, assim como todos os insetos, apresentam um tipo especial de sangue que é chamado de hemolinfa.

A hemolinfa  não apresenta pigmentos respiratórios (como hemoglobina ou hemocianina) e por isto é transparente.

Este líquido é bombeado pelo coração através de um sistema circulatório aberto ou lacunar e tem a função de transporte apenas de nutrientes e excreções.

Nesses animais, os gases respiratórios circulam por um sistema de tubos totalmente isolado do sistema circulatório que capta o ar do meio externo, levando-o diretamente aos tecidos.

Sabe de mais alguma curiosidade das baratas? Compartilhe aqui conosco!