Existentes a mais de 300 milhões de anos, as baratas já somam cerca de 5.000 de espécies no mundo.

O corpo das baratas tem formato ovular e deprimido.

Seu tamanho pode variar de alguns milímetros até quase 10 centímetros.

Qual a sua reação ao se deparar com uma barata?

Você tem nojo desses bichinhos? Sai correndo quando elas saem voando?

Conheça 7 curiosidades da barata mais comum ao convívio humano.

1) Elas resistem a ataques nucleares

Só que não. O mito provavelmente surgiu na década de 1960, com o relato nunca confirmado de que baratas teriam sobrevivido às bombas de Hiroshima e Nagasaki.

É verdade que, comparadas com não-insetos, elas são resistentes: por terem poucas células que se dividem lentamente, conseguem consertar alguns problemas causados pela radiação.

Mas outros seres vivos são muito mais resistentes, como certas algas, musgos e bactérias.

E até alguns insetos são mais fortes: enquanto a barata americana aguenta até 20 mil rads (unidade de radiação absorvida), o caruncho de madeira aguenta 48 mil, e a mosca-das-frutas, 64 mil.

Uma bomba como a de Hiroshima tem 34 mil rads. Ou seja, elas não sobreviveriam.

2) Elas sobrevivem sem cabeça

Além de conseguir ficar até um mês sem comer nada e semanas sem ingerir água, o inseto ainda é capaz de sobreviver por vários dias sem a cabeça.

É que suas principais estruturas vitais ficam espalhadas pelo abdômen (incluindo as que permitem a respiração) e, caso percam a cabeça, um gânglio nervoso no tórax passa a coordenar os seus movimentos, permitindo que fujam das ameaças.

Como o seu corpo tem um revestimento de células sensíveis à luz, ela ainda pode localizar e correr para as sombras a fim de se proteger.

3) Têm barata na nossa comida

Sim, existem baratas na sua alimentação (e outros insetos também).

Acredite, pernas e antenas de barata estão presentes em cada barra de chocolate, queijo e pipoca que você come.

Segundo a Food and Drugs Administration (FDA), o órgão que faz o controle dos alimentos e remédios nos EUA, uma barra de chocolate comum contém, em média, 8 resíduos de baratas.

O inseto entra em contato com o doce ainda durante a colheita e armazenamento do cacau.

E mais: pessoas que têm alergia ao chocolate podem, na verdade, ser alérgicas aos pedacinhos de baratas que ficam no doce.

Você pode achar nojento, mas a presença de baratas é segura para sua saúde.

Existe uma tolerância quanto a quantidade de insetos nos alimentos industrializados.

3) Baratas transmitem doenças

Quase isso. Baratas não são transmissoras no sentido de serem o vetor causador.

Elas são “transportadoras” de várias doenças, pois carregam no corpo e patas bactérias, fungos e vírus.

Entre as doenças mais comuns, estão cólera, peste, febre tifoide, herpes, poliomielite e conjuntivite.

4) Têm pouca visão

baratas