Seja no ENEM ou no vestibular para fazer uma boa redação, você precisa estar bem informado dos assuntos da atualidade para melhor desenvolver a sua redação.

Esse tipo de redação exige que você consiga tratar de conceitos bem homogêneos e completos.

Ou seja, você precisa ver o tema como um todo e não apenas isoladamente.

Uma boa redação pode ser feita com a técnica básica de introdução, desenvolvimento e conclusão.

Na introdução, como o próprio nome diz deve ser apresentado as principais ideias que serão exploradas no texto.

No desenvolvimento, você deve desenvolver as ideias apresentadas na introdução.

Uma dica é se for falar de vários tópicos dentro do tema, divida cada um desses em parágrafos, deixando o texto mais organizado.

E na conclusão, é um desfecho das ideias, fechando com uma ideia conclusiva que amarra as demais.

Em geral redações como do ENEM e de vestibulares os temas são em maioria relacionados com temáticas polêmicas e da atualidade, como violência, política e educação.

Além dessa estrutura básica de introdução, desenvolvimento e conclusão temos mais algumas dicas:

1) Seja claro, preciso, direto, objetivo e conciso

Já diria meu orientador, se você escreve uma frase longa demais, com mais de cinco linhas por exemplo, o pensamento está confuso e seu leitor vai se perder no raciocínio.

Use frases curtas e evite intercalações excessivas ou ordens inversas desnecessárias.

Não é justo exigir que o leitor faça complicados exercícios mentais para compreender o texto.

Tente ser objetivo no que quer dizer.

Por isso, construa períodos com no máximo duas ou três linhas.

Os parágrafos, para facilitar a leitura, deverão ter cinco linhas, em média, e no máximo oito.

De novo, parágrafos, não uma única frase!

Além disso seja explícito nas informações e não deixe nada subentendido.

2) Atenção a ordem do texto

Adote como norma a ordem direta.

Pois conduz mais facilmente o leitor à essência das informações do seu texto.

Dispense os detalhes irrelevantes e vá diretamente ao que interessa, sem rodeios.

Lembre-se da estrutura: um ou dois parágrafos de introdução, três de desenvolvimento e um de conclusão.

Na introdução em geral deve fornecer resposta a pergunta básica: sobre o que é? Essa resposta será o que se desenvolverá na redação.

Além disso, procure dispor os argumentos em ordem decrescente de importância (princípio da pirâmide invertida).

Para que, no caso de qualquer necessidade de corte no texto, os últimos possam ser suprimidos, de preferência.

Outro ponto muito importante é encadear o texto.

O que seria isso? Simples! É a conexão entre um parágrafo e outro.

Nada pior do que um texto em que os parágrafos se sucedem uns aos outros como compartimentos estanques, sem nenhuma fluência.

Isso não apenas torna difícil de acompanhar, como faz a atenção do leitor se dispersar no meio do texto.

Isso dá ao leitor a sensação de que o assunto agora é outro e não parte de um todo.

Os parágrafos estão “conversando”? Precisam estar sempre!

As ideias precisam seguir uma sequência lógica e interligada.

3) Seja simples

Simples, não é o mesmo que simplório.

A simplicidade do texto não implica na repetição de formas e frases desgastadas, uso exagerado de voz passiva (será iniciado, será realizado), pobreza vocabular etc.

Com palavras conhecidas de todos, é possível escrever de maneira original e criativa e produzir frases elegantes, variadas, fluentes e bem alinhavadas.

Nunca é demais insistir: fuja, isto sim, dos rebuscamentos, dos pedantismos vocabulares, dos termos técnicos evitáveis e da erudição.

Em qualquer ocasião, prefira a palavra mais simples:

  • votar é sempre melhor que sufragar;
  • pretender é sempre melhor que objetivar, intentar ou tencionar;
  • voltar é sempre melhor que regressar ou retornar;
  • tribunal é sempre melhor que corte;
  • passageiro é sempre melhor que usuário;
  • eleição é sempre melhor que pleito; entrar é sempre melhor que ingressar.

Não inicie a redação com declaração entre aspas e só o faça se esta tiver importância muito grande (o que é a exceção e não a norma).

4) Atenção a escrita dos parágrafos

Não comece períodos ou parágrafos seguidos com a mesma palavra, nem use repetidamente a mesma estrutura de frase.

Procure banir do texto os modismos e os lugares-comuns.

Você sempre pode encontrar uma forma elegante e criativa de dizer a mesma coisa sem incorrer nas fórmulas desgastadas pelo uso excessivo.

Atenção as palavras que marcam uma conclusão: logo, pois (depois do verbo), portanto, por conseguinte, por isso, assim, dessa forma.

5) Atenção á linguagem

Evite tanto a retórica e o saber oculto como a gíria, o jargão e o coloquialismo.

Em tempos de internet e de tantos memes, é importante estar atento para não reproduzir isso na redação.

Termos coloquiais ou de gíria deverão ser usados com extremo cuidado e apenas em casos muito especiais, em que o contexto da redação permita (o que é bem raro).

Evite também abreviações de palavras.

C/, p/, tb, eh, qqer, devem ser evitados em redações.

Além disso, evite também a inclusão de palavras ou expressões de valor absoluto ou muito enfático.

Por exemplo, certos adjetivos (magnífico, maravilhoso, sensacional, espetacular, admirável, esplêndido, genial), os superlativos (engraçadíssimo, deliciosíssimo, competentíssimo, celebérrimo) e verbos fortes como infernizar, enfurecer, maravilhar, assombrar, deslumbrar, dentre outros.

Dificilmente os textos justificam o uso dessas palavras.

6) Cuidado com as infirmações do texto

Não use argumentos não confirmados nem inclua neles informações sobre as quais você tenha dúvidas.

Você poderá estar criando uma armadilha para si mesmo.

Exemplo: “Os Estados Unidos começaram a criar centros para recolher as baterias de lítio desutilizadas”;

“A briga pelo mercado petrolífero continua sendo o maior dos problemas no continente Oriente Médio”.

Também evite generalizações que possam atingir toda uma classe ou categoria, raças, credos, profissões, instituições etc.

Muita ATENÇÃO a isso.

Evite construções com: todos, nenhum, ninguém, jamais, sempre etc.

7) Tamanho da redação

Se não estiver especificado o tamanho do texto, escreva entre 25 a 30 linhas.

Quando houver tempo, reescreva o texto: é o mais recomendável.

Quando não, vá cortando as frases dispensáveis.

Nunca deixe de ler até o fim o rascunho que vai ser refeito, mesmo que você tenha poucos minutos disponíveis.

Ele poderá conter informações indispensáveis no fim e você corre o risco cortá-las.

redação