As angiospermas apresentam um conjunto de características reprodutivas reunidas em uma estrutura exclusiva, a flor.

A evolução da flor foi seguramente um dos principais fatores que determinaram o sucesso e a grande diversidade das Angiospermas.

Portanto, o estudo da estrutura e evolução da flor é importante na filogenia e classificação deste grupo de plantas.

A típica flor das Angiospermas é monoclina.

Com pistilos e estames inseridos no mesmo receptáculo e protegidos por apêndices estéreis.

Tendo as sépalas a função de proteção e as pétalas de atração de polinizadores.

A partir da flor primitiva, as tendências evolutivas gerais se deram nos seguintes sentidos:

  • redução do número de elementos,
  • disposição espiralada dos elementos passando à disposição cíclica;
  • tépalas indiferenciadas passando à diferenciação de cálice e corola;
  • adnação e fusão dos elementos;
  • mudança de simetria da flor de actinomorfa para zigomorfa;
  • formação de um hipanto que gradualmente se funde ao ovário com modificação do ovário súpero para ovário ínfero
  • e reunião das flores em inflorescências.

Partes da flor

A flor é um ramo de crescimento determinado.

Localizado na porção terminal do caule, de um ramo caulinar ou axilar.

No decorrer do processo evolutivo, as folhas, nós e entrenós desse ramo, sofreram profundas modificações, transformando-se em peças florais.

flor

Tais peças em conjunto formam quatro verticilos.

Cada um inserido em um dos nós do ramo, agora reduzido a um receptáculo.

Cada uma dessas folhas modificadas, de cada verticilo floral, é denominada antófilo.

Em dois desses verticilos formam-se as células sexuais sendo, portanto, chamados de verticilos férteis.

Os outros dois são apenas de células estéreis e, portanto, chamadas de verticilos protetores ou verticilos estéreis.

Uma flor quando completa, consta de um pedicelo que é um eixo caulinar que nasce na axila de uma ou mais brácteas.

A flor será pedunculada ou séssil, caso apresente ou não o pedicelo.

Na extremidade, geralmente mais alargada, denominada receptáculo floral estão inseridos os elementos florais.

O receptáculo é um ramo modificado, constituído de nós e entrenós muito curtos.

Pode se apresentar de forma bastante variada, o que pode determinar uma alteração da morfologia externa da flor.

Por exemplo, em flores de grupos considerados primitivos, que em geral apresentam um grande número de peças florais, o receptáculo floral é alongado e as peças florais se dispõem ao redor dele de modo espiralado.

Assim, nestas plantas, embora o eixo floral também seja de crescimento determinado, aparentam ter um crescimento indeterminado e tais flores são chamadas de acíclicas.