O Sistema Agroflorestal (SAF) ou, popularmente, agrofloresta, combina o plantio de árvores ou arbustos com cultivos variados para consumo e comercialização.

Essa diversidade tem como objetivo o maior aproveitamento dos recursos naturais, como solo, água e luz.

De maneira simplificada, uma agrofloresta é um sistema de multicultivo adensado onde são plantadas de uma só vez 30 ou mais espécies.

Preferencialmente mais, com vários estratos de crescimento e ciclos de vida, dirigidas pela sucessão natural.

Onde ao longo de sua evolução uma planta ajuda a outra, todas ajudam a natureza e esta ajuda o homem que aprende a respeitá-la.

Ou seja, uma agrofloresta é uma forma de produzirmos alimentos ao mesmo tempo em que conservamos ou recuperamos a natureza.

Isso é possível porque nessa forma de produção, ao invés de retirarmos toda a vegetação original e plantarmos apenas uma cultura em uma larga extensão de terra, procuramos entender o funcionamento da natureza e imitá-la.

Utilizando as relações entre os seres vivos a nosso favor e estimulando a biodiversidade.

Nas agroflorestas utilizamos culturas agrícolas, árvores e animais em um manejo que leva em consideração o tempo e o espaço.

E dessa forma, é muito importante o conhecimento das características de cada espécie utilizada e sua relação com as demais.

A adubação é feita de forma natural.

Ou seja, com os recursos disponíveis e com a dinâmica de ciclagem de nutrientes típica das florestas.

Por meio da poda das árvores e da adubação verde.

Não é utilizado agrotóxicos nem adubos químicos.

Já que agrotóxicos e demais químicas vão contra a técnica da agrofloresta (que propõe um controle natural das pragas através do reestabelecimento do equilíbrio ecológico).

É importante entendermos que, quando retiramos a mata e degradamos o ambiente, a natureza tenta a todo custo se regenerar.

E quando isso acontece, aparecem as “pragas” e as “ervas daninhas”.

Isso nada mais é, do que a natureza tentando reestabelecer seu equilíbrio natural, atrapalhado pelo ser humano.

Essa é a forma da natureza de expressar que algo está errado.

E devemos interpretar estes sinais e utilizá-los a nosso favor, para nos auxiliar com o manejo.

Se os insetos estão em uma quantidade que pode danificar a colheita, devemos aumentar a biodiversidade e buscar o controle biológico.

Ou quando há o surgimento de ervas espontâneas, devemos retirar ou podar aquelas que porventura estiverem competindo com as culturas e estimular o crescimento das outras.

O mais importante num manejo agroflorestal é o conhecimento do ambiente natural que nos cerca.

E a consciência de que o ser humano faz parte da natureza e deve se relacionar com ela de uma forma harmoniosa.

Vantagens da agrofloresta

agrofloresta

1) A agrofloresta alia a produção de alimentos com a conservação do meio ambiente
  • Sem o uso de agrotóxicos e químicos, não poluímos as águas, o solo e os alimentos
  • Uma agrofloresta ajuda a controlar a erosão dos solos
  • Diminuem a necessidade de derrubar a floresta para abrir áreas cultiváveis
  • Grande eficiência na ciclagem de nutrientes
  • Ajudam a manter a fauna e biodiversidade
  • Uma terra na agricultura convencional produz bem durante poucos anos, após os quais há uma queda na produção, enquanto que na agrofloresta a durabilidade é contínua.
2) Agroflorestas são importantes na recuperação de áreas degradadas
  • São utilizadas espécies poucos exigentes quanto a qualidade do solo, capazes de melhorar a terra para as espécies mais exigentes
  • No consórcio de espécies, uma planta ajuda a outra a se desenvolver
  • Ao longo do tempo, a terra vai se recuperando naturalmente
  • A sucessão natural é o trabalho da própria natureza pra se recuperar
  • Cumprem duas funções ao mesmo tempo, pois durante a recuperação da área são produzidos alimentos e outros produtos;
3) Segurança alimentar
  • Melhoria da alimentação das populações rurais e dos consumidores
  • O alimento produzido sem adubos químicos é mais rico em nutrientes e mais saudável
  • O alimento produzido sem veneno não faz mal à saúde
  • Melhoria da qualidade de vida de quem come e de quem produz
  • Consumindo alimentos das agroflorestas, estamos colaborando diretamente com a preservação da natureza
4) Benefícios econômicos
  • Aumenta a renda familiar
  • Custos de implantação e manutenção são acessíveis aos pequenos agricultores
  • Intensificação do grau de utilização da área
  • Menor risco aos produtores, devido a maior diversificação da produção
  • Construção de capital “em pé”, para o caso de emergências
  • Diminui o custo com insumos externos

Desvantagens dos SAFs

1 ) O manejo é um pouco mais complicado
  • Os conhecimentos dos agricultores e técnicos sobre sistemas agroflorestais ainda é muito limitado
  • Pouco conhecimento sobre alelopatias
  • Distanciamento e espaçamento deve ser decidido pra cada espécie
  • Utilização de espécies que podem ser novas aos agricultores
  • Requer maior capacidade de observação e maior cuidado
  • Os efeitos benéficos da agrofloresta dependem da qualidade e periodicidade do manejo
2) Desvantagens econômicas
  • O custo inicial para a implantação da área pode ser mais elevado
  • O retorno do capital pode ser mais lento
  • O manejo incorreto pode diminuir o rendimento dos cultivos agrícolas
  • Atualmente os produtos gerados por agrofloresta têm mercados limitados (necessidade de organização em associações e cooperativas)
3) Outras
  • Aumenta a competição por luz, água e nutrientes
  • Difícil mecanização com as máquinas atuais
  • As árvores, quando grandes e velhas, podem causar acidentes
  • Ausência de pesquisas pros cultivos consorciados