O sistema respiratório é o conjunto de órgãos que permite que você faça trocas gasosas, ou seja, respire.

A respiração é um processo no qual ocorre à captura do gás oxigênio do ambiente, e em combustão com a glicose tem o objetivo de produzir a energia necessária ao metabolismo.

Como resíduo forma-se o gás carbônico, que é liberado para o ambiente.

A respiração é importante não apenas para produzir energia, mas também pela combinação do oxigênio com  os  íons  hidrogênio (e mais os elétrons que se haviam desgarrado  dos  hidrogênios).

Que leva à  formação de água e impede que as células morram por acidose.

Esse é um processo comum a todos seres vivos, mas já pensou como é o sistema respiratório de outros animais?

Será que possuem semelhanças com o nosso?

Uma forma de se estudar/ensinar o sistema respiratório é por meio da comparação.

Comparando você associa o sistema respiratório ao tipo de respiração.

É o que chamamos de anatomia comparada.

Então o sistema respiratório não é tudo igual?

Não! Mas muitos tem coisas em comum.

Existem basicamente dois tipos de respiração:

A respiração aeróbia (que exige a utilização do oxigênio) e a respiração anaeróbia (que dispensa a participação do oxigênio).

Esta última é realizada por poucos seres, como bactérias, alguns fungos microscópicos e vermes intestinais.

A imensa maioria dos seres realiza a respiração aeróbia.

Nas esponjas e nos celenterados, não há qualquer rudimento de sistema respiratório.

As trocas gasosas entre o organismo e o meio dão-se diretamente por mecanismo de difusão.

É importante observar que essa difusão se processa de célula a célula, tanto para o oxigênio que chega, quanto para o gás carbônico que sai.

Por isso mesmo, esses animais apresentam a parede do corpo com uma espessura relativamente fina.

forma do corpo cnidários

Já nos animais que possuem um tecido de revestimento, como a epiderme, a respiração por difusão recebeu outro nome: respiração cutânea.

Minhocas e planárias estão neste caso.

Apenas com uma diferença: a planária sofre a difusão de célula a célula.

Enquanto que  a minhoca recebe o oxigênio através da sua epiderme e o transporta pelo sangue, já que possui vasos sanguíneos logo abaixo da epiderme.

O gás carbônico é eliminado por difusão célula a célula, na planária, e pelo sangue, que o descarrega através da epiderme, na minhoca.

Dizemos, então, que a respiração é cutânea direta, nas planárias, e cutânea indireta, nas minhocas.

respiratório

Os sistemas respiratórios propriamente ditos começaram, de fato, com alguns anelídeos (poliquetos marinhos) e insetos.

Os anelídeos desenvolveram brânquias e os insetos “inventaram” as traqueias.

As traqueias são delgados canais revestidos de quitina que se ramificam para o interior do corpo do animal.

E levam o oxigênio diretamente à intimidade dos tecidos.

Igualmente, elas trazem das células o C02 eliminado e o derramam para o exterior através de diversos pares de minúsculos orifícios abdominais chamados estigmas ou espiráculos.

Esquema das estruturas do sistema respiratório em insetos

Já nas aranhas e escorpiões existem, além das traqueias, que neles se abrem para o exterior por um único orifício, um outro tipo de órgão conhecido como pulmão livro.

respiratório