Pesquisadores da Universidade do Novo México vem publicando resultados a cerca de uma vacina que seria capaz de reduzir o colesterol.

Os cientistas testaram com sucesso em camundongos uma vacina que protege os altos níveis de colesterol acumulados nas artérias.

Toda a ideia pode parecer um pouco estranha, já que vacinas são geralmente utilizadas contra patógenos.

Mas os pesquisadores descobriram como usar o sistema imunológico para parar o colesterol ruim – também conhecido como colesterol de lipoproteínas de baixa densidade (LDL).

A vacina “ensina” o sistema imunológico a combater a anemia que impede o esvaziamento natural de LDL do sangue.

Isso significa que a vacina induz os anticorpos contra uma proteína alvo que é produzida pelas proteínas endógenas do corpo.

A  vacina, de nome AT04A, provoca a inibição da enzima PCSK9 (pró-proteína convertase subtilisina/Kexin tipo 9).

Já existem terapias aprovadas que visam o PCSK9 com anticorpos, mas esses geralmente são colocados nos pacientes em vez de ter o corpo humano produzindo.

Mas o que é PCSK9?

Como já dito é uma enzima que, nos seres humanos, é codificada pelo gene PCSK9.

Esse gene codifica uma pró-proteína convertase pertencente à subfamília proteinase K da família subtilase secretora.

A proteína codificada é sintetizada como um zimogênio solúvel, que sofre processamento autocatalítico intramolecular no retículo endoplasmático.

Isso significa que, é uma proteína secretora hepática que atua como um regulador negativo de LDL-R bloqueando a reciclagem do receptor para a superfície celular.

Essa proteína tem um papel fundamental na regulação da homeostase do colesterol.

Como funciona a vacina

Os experimentos foram feitos com ratos geneticamente modificados e alimentados com alimentos de estilo ocidental para induzir colesterol alto.

Essa vacina se trata de uma terapia imunológica.

O LDL-C no plasma é principalmente removido da circulação quando interage com os receptores LDL (LDL-R) que são abundantemente expressos em hepatócitos.

colesterol

Após ligação LDL-R, LDL-C  ocorre a endocitose e sofre catabolismo lisossômico.

Após este processo, o LDL-R é reciclado de volta à superfície celular.

A indução de respostas de anticorpos contra um auto-antígeno, como o PCSK9, está aparentemente limitada pelos mecanismos de tolerância das células B.

Essas células eliminam, inativam ou alteram a especificidade de células B potencialmente auto-reativas.

A. Tratamentos com estatinas para baixa do colesterol; B. Tratamento com a enzima PCSK9

Resultados obtidos até agora

O AT04A reduziu a quantidade total de colesterol nos ratos testados em 53%.

O dano de aterosclerose diminuiu 64% e os marcadores biológicos da inflamação dos vasos sanguíneos foram reduzidos em 21-28% em comparação com ratos não vacinados.

A redução dos níveis de colesterol total foi significativamente correlacionada com a concentração induzida de anticorpos.

Acredita-se que os anticorpos induzidos causaram a redução do colesterol e também são responsáveis ​​pela redução do desenvolvimento da aterosclerose.

Se a vacina for capaz de replicar os mesmos efeitos benéficos em seres humanos, isso pode levar a terapias efetivas duradouras que só precisam que os impulsionadores anuais permaneçam em plena potência.

Testes humanos estão atualmente investigando a segurança e a viabilidade do AT04A em humanos.

A chegada da vacina no mercado levará ainda uns 6 anos, para que se conclua todos os testes.

O que é colesterol?